Páginas


5 de ago de 2012

O que eu achei de: Batman O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Batman O Cavaleiro da Trevas Ressurge
Porque nunca conseguem fazer um término de franquia bom? 
Depois de Batman O Cavaleiro das Trevas, que tinha uma trama envolvente e o Coringa de Heath Ledger, eu sinceramente esperava um filme grandioso para o fim saga do Homem Morcego. 
Christopher Nolan conseguiu fazer de Batman O Cavaleiro da Trevas Ressurge um genuíno filme de super herói convencional. Esse foi o maior erro dele.

Os dois primeiros filme do herói dirigidos por Nolan (Batman Begins - 2005, Batman O Cavaleiro das Trevas - 2008) tiveram como ponto alto a genialidade da trama e o equilíbrio entre as cenas de ação e de história. Já em O Cavaleiro das Trevas Ressurge existe uma completa falta de lógica na trama, com pouquíssimas cenas surpreendentes ou emocionantes. 

A produção claro, foi logicamente espetacular, que é o mínimo de se esperar de um filme de milhões de dólares. Só pra constar, as cenas com efeitos especiais são todas muito bem feitas e o 2D foi perfeito. Mas... já que os efeitos são bons e o 2D também, qual foi o problema do filme?

O problema é que a história não é tão grandiosa e monumental assim, é apenas um filme de super-heróis, o que não é comum dos filmes do Batman! Estendê-la mais do que o necessário mostrou-se um erro (foram 2h e 45 min. de filme!), por mais que o final empolgante ajude a dirimir tal sensação.

Bane, o vilão

Além da história que é completamente utópica, sem qualquer forma de ser comparada com a realidade, outro problema foi Bane, o vilão. Em poucas palavras, o vilão de O Cavaleiro das Trevas Ressurge é, como diria o Rei Julian, um BOCÓ! O que o Coringa tinha de Gênio do mal que sempre estava um passo a frente, Bane é só um mané musculoso com um plano totalmente sem nexo.

O Cavaleiro das Trevas Ressurge é sério demais e gasta muito tempo com diálogos inúteis. A atriz Anne Hathaway que representa a ladra Selina Kyle em momento algum do filme é chamada de Mulher-Gato, o que eu achei adequado, já que o papel não tem muito a ver com a trama, parece que foi colocado mais por obrigação do que por outro motivo.

Selina Kyle

Enfim, faltou ao filme uma clareza nos fatos, um vilão digno do herói e mais algumas explicações sobre que fim levou o Coringa (O que eu achei uma sacanagem, já que o Nolan devia pelo menos uma referência ao personagem de Ledger).

O filme é bom pra passar o tempo (e bota tempo nisso), mas fora isso não é, com certeza, um fim digno para uma franquia que tinha tudo pra ser finalizada com perfeição.